QUAL A LENTE QUE ESCOLHES PARA OLHAR A TUA RELAÇÃO?

A forma como cada um escolhe olhar o mundo, é fruto das ”lentes”, dos ”filtros”, que nos colocamos.

Essas lentes ou filtros são resultado das nossas convicções, as quais fomos construindo ao longo da vida, fruto da educação a que fomos sujeitos, das formatações sociais ou mesmo das nossas generalizações.

Por fazermos generalizações, tomamos as nossas convicções como verdades universais:

”Sou um homem, tenho que ser forte”

”Homem não chora”

”Não posso deixar que me vejam vulnerável”

”Não tenho jeito para surpreender a minha companheira’…

Ao colocarmos energia nestas afirmações, elas passam a fazer parte de nós. Na sua maioria, servem para nos limitar e diminuir.

No entanto

uma convicção também nos pode empoderar

basta que escolhamos e encontremos a que nos é mais apropriada e passar a acreditar nela, com tanta força, como acreditamos nas outras.

Se eu acreditar que

”Sou o maior influenciador do mundo”,  ou

”Sou o melhor director que a empresa pode ter”,  ou

”Sou o melhor marido do mundo”,

vou fazer com que a minha mente racional se esforce por estar à altura desse ”rótulo” que me impus e no qual passei a acreditar piamente.

Então, ao fim de algum tempo, conseguirei agir em conformidade.

É este o mecanismo das convicções e a forma como poderemos usá-las para nos empoderar!!!

Sabia que o nosso eneatipo de personalidade já traz por base, um sistema de crenças implementado?

Daí a vantagem de o conhecermos, pois só assim podemos perceber até que ponto ele pode estar a impedir-nos de viver os relacionamentos, da forma que gostaríamos.

E você, em que tipo de crenças escolhe colocar a sua energia, nas limitantes, ou nas potenciadoras?